quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

UM "LEOCARDO" EXTREMAMENTE PREOCUPADO!!




O "Leocardo", aka Luis Crespo, gosta mesmo de mim!

Gosta tanto (oh, Diabo!!!) que nem sequer consegue deixar de pensar em mim durante um segundo que seja, mesmo em férias. Vejam só este belo texto, do seu "Bairro do Oriente" onde se vê tanta e tão sincera preocupação para comigo...



"O avariado do Paulo Reis foi neste texto da caverna onde pratica bruxaria acusar-me de uma série de coisas (...)" queixa-se o rapazito, desatando a chamar-me "anormal" e "Capitão Malucão", ao mesmo tempo que me acusa de "tentar convencer meio mundo de uma treta que nem uma criança de 6 anos engolia" - Uau! Pelo menos, ó Leocardo, tenho a coragem de t entar fazer coisas destas...

Escreve o nosso amigo Tal (Troglodita Andante Lobotomizado): "Pegando num comentário pessoal muito 'livre' (e despropositado) de um jornalista do Público a propósito de uma reportagem feita em 2008 na Mesquita de Lisboa, Paulo Reis  a  lega que 'existe um sistema jurídico paralelo' em Portugal, sugerindo de seguida que o 'Sheik' Munir 'decepou mãos' a quem foi julgado pelo 'tribunal da Sharia."

Xiça, que é burro!!! Não consegue perceber o que é ironia, não sabe ler português - língua em que o jornal Público é escrito, nem consegue ir ao Google para ver o original da reportagem. Enfim, de facto, o dr. Egas Moniz ganhou um prémio Nobel de Medicina por ter inventado a técnica da "lobotomia". Mas a evolução científica mostrou, anos depois, que a "lobotomia" era um desastre. Luís Crespo está aí, para não deixar ninguém dizer o contrário.

Cntinuando com a simpática descrição da minha personaalidade, feita pelo Leocardo: eu, Paulo Reis, sou o tipo doentio que "vê' anti-semitismo' em toda a parte, incluindo o Correio da Manhã! E tudo por causa de uma notícia que menciona o país de origem de uma arma usada num crime de faca e alguidar." Imagine-se! Alguma vez viram uma notícia no Correio da Manhã onde se falasse emtiros, feridos e mortos e não se identificasse a "nacionalidade" dasarmas?

Claro que não, e dou-vos alguns exemplos tirados das próprias páginas do CM: "Traficante de droga morto com caçadeira espanhola"; "Espingarda alemã fere turista escandinavo"; "Punhal turco serviu para assaltar ingleses em Quarteira"! Viram? O Leocardo tem toda a razão, quando diz que eu não tenho razão, só porque apenas se viu UMA VEZ, em toda a história do CORREIO DA MANHÂ, referir uma arma identificando o país de fabrico: foi numa primeira página onde se escreveu que "fulano" foi morto com uma arma israelita (uma "Uzi").

Mas, para eu nãpo me ficar a rir, o Leocardo dispara a última salva: "O mesmo Paulo Reis que leva a cabo estes autos-de-fé, e onde aí sim, decorrem actos difamatórios graves - este COBARDE até apagou aquele comentário que podem ver no link, cheinho de nhufinha." - afirma - "No fundo, o mesmo PauloReis que não sabe o que diz, e que depois daquele discurso que se pode descrever de "circense", desbaratou na pobre miúda ao estilo do mais ordinário e reles que há, e tudo porque ela lhe disse na frente o que toda a gente lhe diz nas costas. "Ai eu trabalhei, nha nha nha". "Sou velho, oiçam o meu relho". Vai-te tratar, Paulo Reis!

Ó Leocardo, se não fosse eu, com que é que tu ocupavas a tua vida????

Sem comentários:

Enviar um comentário