quarta-feira, 23 de novembro de 2016

La France se reveille, encore une fois!

Mais, maintenant, c'est une femme qui porte le drapeau: Marine Le Pen. Houve tempos em que a França teve homens e mulheres à altura da sua História. Numa época de enorme incerteza e perturbação, as vozes que nos chegam da Europa profunda, a Europa cristã, a Europa dos nossos antepassados, construída à espadeirada no costado dos malditos turcos, nas Portas de Viena, dizem-nos que essa alma não morreu.
No dia 27 de Maio de 1943, reuniu pela primeira o Conselho Nacional da Resistência francesa, em Paris. Para dirigir aquela estrutura, um ideia do general de Gaulle, exilado em Inglaterra, foi escolhido o ex-presidente da Câmara de Paris, Jean Moulin, 44 anos de idade. No dia 21 de Junho do mesmo ano, numa operação chefiada pelo sinistro Klaus Barbie, chefe da Gestapo de Lyon, Jean Moulin foi preso, num bairro dos arredores daquela cidade. Durante semanas, os torcionários da Gestapo massacraram o ainda jovem "marchand d'art", proprietário de uma galeria, "Romanin", que lhe servia de cobertura. 
A  férrea vontade de Jean Moulin e a sua inacreditável resistência física levaram-no a aguentar torturas inimagináveis, de dia e de noite, sem que uma palavra saísse da sua boca. Os esbirros da Gestapo desistiram, derrotados neste combate entre o ódio e a coragem. Jean Moulin foi metido num comboio de transporte de gado, no meio de milhares de judeus, com destino a Auschwitz. Morreu na noite de 8 de Julho de 1943, durante uma curta paragem na estação de Metz , sem ter ainda abandonado a sagrada terra da sua amada França.
Olhando para trás, para este passado recente, quando a Europa ainda era uma terra de Nações e não a conspurcada "Europa" (?) sem fronteiras e sem alma que hoje é, podemos dizer que esse foi o tempo em que homens como Jean Moulin não eram raros. É chocante pensar na quantidade de oxigénio que hoje em dia se desperdiça, ao ser introduzido em algunspulmões humanos que, se fossem cheios de água, nenhuma diferença daí viria, para o mundo...

Sem comentários:

Enviar um comentário