quinta-feira, 17 de novembro de 2016

A nova solução final

O combate à liberdade de expressão aumentou de intensidade, nas redes sociais, na sequência de decisões tomadas após a vitória de Donald Trump. Estas decisões têm um objectivo fundamental: permitir que a campanha anti-Trump, em curso nas redes sociais desde o início da campanha eleitoral, não tenha opositores, garantindo, ao mesmo tempo, que a expressão de ideias semelhantes às dos apoiantes de Trump é quase completamente apagada da Internet. 
O Twitter deu o pontapé de saída, apagando inúmeras contas de pessoas que considera serem de extrema-direita. O Google vai aplicar um filtro que retira publicidade (com o seu sistema AdSense) aos sites que considera serem de extrema-direita e produtores de notícias falsas. 
O Facebook fez o mesmo, em relação à publicidade. Ambos (Facebook e Google) estão a preparar uma nova versão dos seus "Terms of Service", onde os utilizadores terão que assumir o compromisso de "não apoiar, difundir ou defender ideologias de extrema-direita, anti-democráticos, racistas, misóginas, etc, etc". 
O poder de decidir quem tem direito a utilizar as redes sociais, para exprimir as suas ideias políticas, passa a ser controlado por três empresas (Twitter, Google e Facebook), cujo único objectivo é maximizar os lucros dos seus accionistas. Um pequeno núcleo de decisores, nestas empresas, trabalhando de forma coordenada, definirá quem é apagado das redes e quem não é, de acordo com critérios e formas de análise que são desconhecidas do público, dos utilizadores das redes e da maioria dos políticos - neste caso, o Google tem ligações específicas a determinados grupos políticos. De uma só penada, "1984", "O Triunfo dos Porcos" e o "Admirável Mundo Novo" tornados realidade. 



Martin Niemoller (1892-1984), pastor protestante alemão, adversário de Hitler, que passou sete anos num campo de concentração nazi (texto adaptado)

First they came for the Socialists, and I did not speak out -
Because I was not a Socialist.
Then they came for the Trade Unionists, and I did not speak out - 
Because I was not a Trade Unionist.
Then they came for the Jews, and I did not speak out - 
Because I was not a Jew.
Then they came for the "Fake News" Website authors, and I did not speak out - 
Because I was not a "Fake News" Website author.
Then they came for the "Right-Wing" Website authors, and I did not speak out - 
Because I was not a "Right-Wing" Website author.
Then they came for me - and there was no one left to speak for me!


Sem comentários:

Enviar um comentário